O Sol da Sabedoria – release

Editora Peirópolis lança “O Sol da Sabedoria” do mestre tibetano Khenpo Tsültrim Gyamtso Rinpoche

Na obra, o autor traz os ensinamentos orais ao texto clássico de Nagarjuna sobre a sabedoria fundamental do Caminho do Meio

 

FICHA TÉCNICA:

O sol da sabedoria

Ensinamentos do Nobre Nagarjuna sobre a sabedoria fundamental do Caminho do Meio

Autor: Khenpo Tsültrim Gyamtso

Tradução de Helena Patsis-Bolduc

Formato: 14×21 cm

Páginas: 272 páginas

ISBN 978-85-7596-582-5 (impresso)

ISBN 978-85-7596-583-2 (e-book)

Preço: R$ 52,00

 

Na história do pensamento budista, poucos textos exerceram tamanha influência como a Sabedoria Fundamental do Caminho do Meio, de Nagarjuna (séc. II D.C.). Escrito em forma de versos, o texto apresenta a visão do Caminho do Meio segundo a interpretação desse mestre indiano considerado o grande elucidador dos Sutras da Perfeição da Sabedoria.

 

O sol da sabedoria – Ensinamentos do Nobre Nagarjuna sobre a sabedoria fundamental do Caminho do Meio”, lançamento da Editora Peirópolis, traz os ensinamentos orais ao texto clássico de Nagarjuna oferecidos pelo grande mestre e professor tibetano Khenpo Tsültrim Gyamtso Rinpoche, que comenta a visão última do Buda, apresentada como a transcendência de todos os extremos ontológicos.

 

A partir do uso da lógica, a inconsistência das visões que se fixam a algum extremo é demonstrada. Mesmo conceitos como “Buda” e as “Quatro Nobres Verdades” têm sua existência inerente refutada, conduzindo à conclusão final de que o ensinamento último do Buda foi o da superação de todas as visões como o caminho para a liberdade.

 

Com uma apresentação direta e focada na experiência dos praticantes, sem se perder nas dificuldades da discussão filosófica, o comentário do Khenpo Tsültrim Gyamtso permite ao leitor compreender a essência de cada capítulo e integrar esses discernimentos à prática meditativa. Um texto indispensável para aqueles que se dedicam à prática do caminho Mahayana (Grande Veículo) do budismo.

 

No prefácio da obra, a tradutora Helena Patsis-Bolduc diz que Khenpo Tsültrim Gyamtso, lembra-nos repetidamente de que não precisamos ter medo da natureza do vazio ou caminhos do meio, que são sinônimos. “Seu maior sentido não é o de nos amedrontar, mas de nos libertar. Como ele diz, compreender o significado verdadeiro da natureza do vazio deixa a mente descontraída, ampla e desprendida. Por isso, concluímos que seu oposto também se aplica”.

 

Segundo ela, todos nós temos um objetivo comum: queremos ser felizes, mas apesar disso, constantemente a felicidade escorrega. Durante os intervalos de felicidade e não felicidade, estamos perdendo tempo. Não reconhecemos o significado autêntico do que está acontecendo. “Mas podemos reconhecer, somos capazes disso. As 27 análises apresentadas neste livro nos mostram, passo a passo, como fazê-lo. Essa é a principal mensagem do budismo, um assunto que se repete nas apresentações de todas as doutrinas budistas: a natureza do vazio significa nossa capacidade de ser muito mais do que imaginamos”, finaliza.

 

Sobre o autor

Khenpo Tsültrim Gyamtso Rinpoche é um mestre tibetano da linhagem Kagyu considerado uma emanação do grande iogue Milarepa. Nasceu em 1935, recebeu treinamento tradicional no Tibete e começou a oferecer ensinamentos no Ocidente em 1977. Conhecido pela profundidade de sua compreensão e por suas canções de realização, tem apoiado a sustentação de monastérios para monjas no Nepal e Butão.

 

Informações para a Imprensa – Editora Peirópolis 

COMMUNICA BRASIL

(11) 3868-0300

Andrea Funk

andrea@communicabrasil.com.br

www.communicabrasil.com.br

Facebook
Instagram