HQ

O negro nos quadrinhos do Brasil – clipping

  O negro nos quadrinhos do Brasil O Outro Lado da Notícia – 16/09/2019   USP e editora lançam quadrinho sobre representatividade negra O Liberal – 16/09/2019   Conheça o livro O Negro Nos Quadrinhos do Brasil, da editora Peirópolis Torre de Vigilância – 30/08/2019   View this post on Instagram Compreender a construção da

Mais +
O negro nos quadrinhos – release

Editora Peirópolis e Observatório de Histórias em Quadrinhos lançam a obra O negro nos quadrinhos do Brasil  Livro de Nobu Chinen é mais completa abordagem sobre a representação de negros e afrodescendentes  nos quadrinhos brasileiros, com reflexões no campos da etnografia, história, antropologia e sociologia   FICHA TÉCNICA O negro nos quadrinhos do Brasil Autor: Nobu

Mais +
O negro nos quadrinhos do Brasil – sumário
Mais +
O negro nos quadrinhos do Brasil – prefácio

Prof. Dr. Waldomiro Vergueiro Observatório de Histórias em Quadrinhos da ECA-USP   Envolvido há quatro décadas com o estudo das histórias em quadrinhos, já tive o prazer de recomendar ou prefaciar muitas obras sobre o tema. Devo reconhecer, entretanto, que algumas vezes (poucas) desempenhei tal atividade por obrigação, quase como para dar conta das exigências

Mais +

Werther em quadrinhos – Leia as orelhas

Werther em quadrinhos – Leia as orelhas
Werther em quadrinhos – Leia as orelhas

CONTRACAPA “Seria grave se todos não tivessem uma vez na vida uma época em que Werther parecesse escrito para si” (Goethe) ORELHAS “Tome cuidado com os sofrimentos do jovem que lhe apresento. Caminhamos lado a lado durante cerca de seis anos sem nos aproximarmos. Agora, emprestei à sua história meus sentimentos, e isso cria um

Mais +

Werther em quadrinhos – Entrevista com o quadrinista

Werther em quadrinhos – Entrevista com o quadrinista
Werther em quadrinhos – Entrevista com o quadrinista

Leia entrevista com Daniel Gisé, autor da quadrinização do romance clássico da literatura alemã, Os sofrimentos do jovem Werther. O que é um clássico para você? Para mim um clássico é um livro que lida com questões humanas universais e fundamentais que continuam as mesmas com o passar dos anos. Qual a sua relação com

Mais +
PNLD 2020> I-Juca Pirama em quadrinhos

I-Juca Pirama em quadrinhos O poema épico de Gonçalves Dias na íntegra em quadrinhos, por  Silvino. Sinopse Versão para os quadrinhos de um dos mais famosos poemas indianistas do romantismo brasileiro: I-Juca Pirama, de Gonçalves Dias. Publicado em 1851, o poema apresenta em 10 cantos, a história do grande guerreiro tupi I-Juca Pirama e o

Mais +
PNLD 2018> Odisseia em quadrinhos

PNLD Literário 2018 – Livro selecionado

Esta página reúne o material complementar à inscrição do livro Odisseia em quadrinhos no edital do PNLD Literário 2018.
0377L18606
Categoria 6 – Ensino Médio
Gênero – Histórias em quadrinhos
A pedra fundamental da literatura ocidental, o clássico de Homero, em quadrinhos diretamente do grego.

Odisseia em quadrinhos

Tereza Virginia Barbosa e Piero Bagnariol

Com cerca de 2.700 anos, a Odisseia continua sedutora, vigorosa e surpreendente. Nesta tradução para os quadrinhos, o texto grego, que está na origem da literatura, se apresenta ainda mais tenaz, oferecendo ideias, imagens, versos, personagens, mecanismos e estratagemas inventivos que reúnem, em uma grande ciranda, o contexto grego de partida e os muitos outros a que a narrativa chegou.

 

Piero Bagnariol

Piero Bagnariol nasceu na Itália e veio para o Brasil com vinte anos, em 1992. Quadrinista e grafiteiro, é um dos fundadores da revista Graffiti 76% quadrinhos, que edita desde 1995, e autor do álbum Um dia uma morte, com roteiro de Fabiano Barroso. Com Barroso e outros autores publicou também o Guia ilustrado de graffiti e quadrinhos. Em parceria com seu pai, o médico Giuseppe Bagnariol, grande conhecedor d’A Divina Comédia, abraçou o desafio de transpor a obra de Dante para os quadrinhos.

Tereza Virginia Ribeiro Barbosa

Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa é professora de grego na Universidade Federal de Minas Gerais desde 1980. Tem experiência na área de Letras e Teatro. Foi tradutora colaboradora no Dicionário Grego Português (Editora Ateliê). É tradutora do drama satírico remanescente de Sófocles, Icneutas, os sátiros rastreadores (Editora UFMG, 2012).

Material PNLDaudiovisual
Manual do professor

 

ODISSEIA_professor

Algumas páginas do miolo

PNLD 2018> Macunaíma em quadrinhos

PNLD Literário 2018 – Livro selecionado

Esta página reúne o material complementar à inscrição do livro Macunaíma em quadrinhos no edital do PNLD Literário 2018.
0376L18606
Categoria 6 – Ensino médio
Gênero – Histórias em quadrinhos
Temas – diálogos com a sociologia e antropologia; ficção, mistério e fantasia

Nunca houve um herói como Macunaíma. E nunca houve uma adaptação de sua história como esta.
Com uma incrível riqueza de imagens e cores, Angelo Abu e Dan X recriam de maneira vigorosa a saga imaginada por Mário de Andrade sobre um personagem singular, a quem falta caráter, mas sobra carisma – e preguiça. Macunaíma nasce índio, se transforma em um belo e loiro príncipe, encontra seres fantásticos da Floresta Amazônica, enfrenta armadilhas e perigos e viaja à cidade grande com seus irmãos em busca de mais confusões e enrascadas.
Uma história que se traduz com perfeição aos quadrinhos, em uma versão que se mostra tão divertida e irreverente quanto a obra original.

 

Angelo Abu

Angelo Abu nasceu em Belo Horizonte, em 1974.  Ilustrou seu primeiro livro em 1995, como resultado de uma oficina no Festival de Inverno de Ouro Preto. Desde então, vem trabalhando para diversas editoras. Em 2000 formou-se em cinema de animação pela Escola de Belas Artes da UFMG. Em 2010 ficou em primeiro lugar na categoria caricatura no concurso de ilustração do jornal Folha de S. Paulo, para o qual posteriormente veio a colaborar algumas vezes. Ilustrou mais de 80 livros, dentre eles, Um Dia, um Pássaro, de Sônia Junqueira, Simbad, adaptado das Mil e uma noites por Alaíde Lisboa, e Macunaíma em quadrinhos, de Mário de Andrade, ilustrado em parceria com Dan X, todos pela Peirópolis.

 

Dan X

Aos 18 anos, enquanto estudava Publicidade, tive o meu primeiro emprego como arte-finalista em uma estamparia em Belo Horizonte. Por 10 anos trabalhei fazendo imagens para a indústria da moda, de padronagens florais a solado de sapato. Em 1995 juntei-me a amigos e editamos a revista Graffiti (1995), que durou 17 anos publicando um volume anual com algumas publicações extra, movidos mais por paixão do que por retorno financeiro. Paralelamente, trabalhei numa produtora de eventos, ministrei oficinas de graffiti pela PBH, fiz painéis e dei aulas na Casa dos Quadrinhos. Atualmente estou retomando o ofício da narrativa com imagens, que sempre me fascinou.  Acredito no poder transformador da literatura, e de uma de suas formas, os quadrinhos.

 

Material audiovisual

 

Manual do professor
MACUNAIMA_professor

 

 

Algumas páginas do miolo

 

 

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com
Facebook
Instagram