"Ciência, arte e jogo", de Adriana Klisys: um novo e inspirado olhar sobre a educação infantil

Ciência, arte e jogo são elementos que Adriana Klisys, consultora de ludicidade na educação, tem pesquisado ao longo de sua vida profissional. Já são dezoito anos desenvolvendo projetos e atividades em sala de aula com base numa perspectiva lúdica do conhecimento que valoriza a invenção, a autoria e a autonomia como elementos primordiais no aprendizado infantil. Toda essa bagagem é agora reunida nesta coletânea de textos que têm em comum uma ideia fundamental no trabalho de Adriana: o brincar como caminho de aprendizagem na vida das crianças.

Convite à leitura

Em seguida encontram-se publicados: trechos do texto de introdução de autoria de Adriana Klisys, orelha, quarta capa e sumário.

Da introdução de Adriana Klisys

A criança tem um verdadeiro fascínio pelo não sabido e aprendido. Alguns adultos perdem isso e guardam apenas o fascínio pelo oposto – o já sabido e entendido –, pisando preferencialmente em terrenos muito seguros do (suposto) alto do saber. E aí o espaço sensível da invenção é quase nulo, muito raso. Como diria o poeta Manuel de Barros, em seu livro Memórias inventadas – a infância: “Tudo o que não invento é falso”. A meu ver, o espaço do brincar é um respiro profundo para a invenção.

As crianças são muito generosas em compartilhar seu encanto com o mundo. É impossível ficar imune ao seu olhar curioso e à sua energia pulsante para tudo à sua volta. Elas são verdadeiras mestras em nos tirar do lugar comum. Só nessa perspectiva de aprender com as crianças é que podemos também ensiná-las a conviver com os outros e a se relacionar com o universo do conhecimento.

O termo brincar, em seu sentido de “estabelecer vínculos”, nos aproxima de uma concepção construtivista de aprendizagem, na qual a construção do conhecimento é fruto do estabelecimento de vínculos e sentidos entre uma aprendizagem e outra. Vínculos fortes com a cultura são formados quando a criança pode brincar com o universo do conhecimento.

Quarta capa
(Trecho do prefácio de Cyrce Andrade)

Onde o pintor dá as mãos para as crianças e oferece-lhes moradia nos seus quadros? Onde os sininhos atraem a atenção para as plantas mais belas? Onde se desenha cheiros?

Tudo isso acontece entre professores que enfrentam com as crianças suas próprias dúvidas e mostram-se dispostos à investigação, com a ousadia de encarar o mundo do conhecimento em toda a sua complexidade e convidá-lo a entrar na escola.

A obra de Adriana Klysis mostra-nos muitas maneiras de enxergar a produção das crianças e seus processos. Mostra-nos também a satisfação dos mestres ao acompanhar seus alunos e – melhor! – ao descobrir, eles próprios, o fascínio pelo conhecimento. E a autora nos instiga: “Afinal, se a curiosidade da criança não encontra terreno fértil na escola, qual a razão de ser desta instituição educativa?”

Se pudesse usar da magia que têm as madrinhas fadas – mesmo com nome de feiticeira – me faria pequena outra vez para descobrir o mundo nesta escola. Mas esses são poderes lúdicos. Entre os poderes lúcidos, essa leitura fez de mim uma melhor professora.

Orelha

Na visão da autora, educadora e consultora em educação infantil Adriana Klisys, o brincar é o respiro para a invenção. É brincando que a criança descobre seu espaço de autoria, autonomia e construção do conhecimento.

Neste livro, originado de um diálogo de vinte anos com crianças e educadores, projetos e atividades pedagógicas para a educação infantil apresentam-se num mosaico lúdico e inspirador em que o brincar é o eixo que integra conhecimento, ciência, arte e jogo.

Dos jogos simbólicos ao universo literário, das artes às ciências, as propostas aqui apresentadas têm em comum a perspectiva lúdica presente não apenas nas brincadeiras ou no faz de conta, como também no jeito próprio da criança pensar, comunicar e representar o que conhece. Estar atento ao seu conhecimento sobre o mundo, fruto de suas explorações e observações, é o primeiro passo para ajudá-la a correlacionar, significar e aprofundar seus conhecimentos científicos. Interagir com sua visão poética, apresentando-lhe perspectivas conceituais mais objetivas de um determinado assunto é o que ajuda a criança a enriquecer seu repertório cultural e acessar o saber socialmente constituído.

Nas inúmeras aventuras pedagógicas narradas neste livro, o educador encontrará um ponto de partida seguro para a prática em sala de aula e possibilidades de promover espaços educativos adequados à infância, em que a generosidade e o encanto da criança pelo mundo norteiem uma ação pedagógica significativa tanto para o professor quanto para o aluno.

Sumário

1. Introdução
2. Ciência
O universo lúdico do conhecimento 13
As Mil e Uma Noites: uma aventura de faz de conta 20
(Re)Construir a história 30
Na época dos reis, rainhas, príncipes e princesas 42
Traga notícias do mundo 57
Mergulhando no universo marinho 74
Moda na sala de aula 87
Inventos, inventores, engenhocas & cia. 93
Para que a vida nos dê plantas, flores e frutos 100
3. Arte
Recortes poéticos 105
Desenhando a imaginação 111
Debret, o Brasil e as crianças 116
A arte da gravura na madeira 119
4. Jogo
Concurso de jogos 122
Esse jogo é nosso! 130
Cantos de atividades diversificadas 139
Aventuras no parque 154
Enfim… a escola que eu desejo 158

Facebook
Instagram